“Na verdade não pensei muito na construção de narrativas, são impressões de viagem, uma sucessão de momentos presentes que ao final se organizam como narrativa.”

Kammal João

 

Entrevista com Kammal João, autor de O Tempo sem Tempo:

1 – Qual a história por trás de O Tempo sem Tempo?

Bom, O Tempo sem Tempo nasce de um desejo de juntar uma investigação, que já vinha realizando em cadernos de desenho e anotações há alguns anos, com o projeto final da faculdade. A decisão de serem cartas endereçadas ao meu irmão mais novo surge um pouco depois quando na mesma época estava lendo o Cartas a Théo, do Van Gogh.

2 – Foi um livro difícil de ser produzido?

Foram seis meses de pré-projeto, seis meses de viagem e seis meses pra fechar o livro pra banca. Só ai já foi um ano e meio! O mais difícil mesmo foi conseguir apoio e adaptar o original, que era mais artesanal, para a forma como ele nasceu n’ A Bolha; ao todo foram pouco mais de quatro anos.

 

3 – Que possibilidades uma narrativa sem texto te impulsiona?

No caso d’ O Tempo sem Tempo mais especificamente, uma das minhas premissas de trabalho era a possibilidade de transformar o próprio traço em narrativa. Gosto de acreditar que existe uma narrativa paralela que é resultado das mudanças de paleta de cor, escolha de técnicas e traços de região para região transformados em um outro tipo de narrativa que dá conta de flutuações mais sutis da minha relação com o mundo.

 

4 – Quando você começou a pensar na construção de narrativas?

Na verdade não pensei muito na construção de narrativas, são impressões de viagem, uma sucessão de momentos presentes que ao final se organizam como narrativa.

 

5 – Quem foram os autores/artistas que você admirava à medida que crescia?

Sempre fui fascinado por imagens, logo, muitos ilustradores, artistas plásticos e pintores foram importantes pra mim. Mas, destacando alguns que fizeram parte direta desse projeto, posso falar de Saint-Exupéry, Debret, Bashô, Manoel de barros, Van Gogh, Rilke, Hokusai.

 

6 – Que tipo de publicações te atraem?

Têm me atraído mais aquelas sem nomenclaturas claras, sem estante nas livrarias…

 

7 – Quando você começou a se envolver com publicações e quando começou a publicar?

Comecei ilustrando para uma editora, que nem existe mais, chamada Ao Livro Técnico em 2009, produzi alguns livros infantis pra eles, e de lá pra cá é o que mais tenho feito pra diversas editoras.

 

8- O que o ato de publicar significa pra você?

A possibilidade de povoar outras tantas sensibilidades.

 

9 – Onde você mora?

No Rio de Janeiro.

 

10 – O que você tem feito? Algum projeto novo em vista?

Atualmente tenho me dedicado mais ao meu trabalho de pintura e cerâmica, o que está por vir ainda é incerto.

 

SOBRE O ARTISTA : Kammal João é artista plástico, vive e trabalha no Rio de janeiro. Graduado em comunicação visual pela PUC-Rio, O Tempo sem Tempo foi defendido como monografia (TCC) de graduação em 2011: uma pesquisa dinâmica sobre as dimensões expressivas e poéticas da imagem, bem como suas relações com o texto. Em 2012 foi selecionado para residência artística na antiga fábrica de porcelana Vista Alegre, em Portugal, onde residiu por seis meses. Em 2013 ilustrou a reedição de O Mistério do Coelho Pensante de Clarice Lispector. Em 2014 participou da residência em Mutuca, MG. Recentemente teve seus trabalhos expostos no 32º Salão de Arte do Pará, na Casa Ipanema, RJ, e também na 9ª traçando histórias em Porto Alegre.

Sobre o Autorretrato : O retrato do autor que ilustra a nossa entrevista foi feito por uma criança no seu caderno de desenho durante o processo de viagens pelo interior do Brasil, o que posteriormente daria origem a O Tempo sem Tempo.
Bárbara, desejamos boa sorte e esperamos que você continue sendo uma grande desenhista 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *